No metrô…

No metrô…

Como uma olhava para outra, era muito engraçado, uma era morena e a outra loura, que dizia fazer 40 anos esse ano e ter um filho de 22 anos. As duas em pé no metrô, falavam de coisas aleatórias, sem eu prestar nenhuma atenção, até começarem a falar do problema dos acentos preferenciais que muitos sentam sem ser e não dão lugar para os que sentam sem ser e não dão lugar para os que necessitam (fiquei feliz, pois sou da lei: pode ter 1000 cadeiras preferências e nenhuma “normal” mais não sento na preferencial, porém quando sento na “normal” se for um velhinho grosseiro ou que eu acho que não vale a pena não dou mesmo, mas já dei meu lugar a um velhinho lindo que tremia muito ai meu coração bateu mais forte e dei meu lugar “normal” para ele), logo veio uma executiva e começou a conversar também, as duas senhoras (não a ponto de ser de idade) entraram na conversa, meio que tentando se explicar porque estavam sentando no preferencial, uma se enrolou e eu não entendi e a outra tem artrose e estava com problema sério, tudo doía (essa eu realmente considerei) e de um assunto desses passaram as cinco para o papo de uma que o filho militar conseguiu ir para casa ficando quatro dias para poder ir à festa de Boda de Ouro dos avós e ainda acrescentou que não existe mais casal como antigamente (Alto Lá! Eu namoro há cinco anos e alguns meses e sou muito feliz com ele, vamos nos casar e vamos fazer Boda de Ouro também, se papai do céu deixar). E de jovens não como antigamente (muito engraçado porque a morena deveria ter menos de 40 e já tinha um filho de 23 e a loura dos 40 tem um de 22 anos, jovens como antigamente tiveram os filhos novas eu pelo menos tenho 19 anos e zero filhos), corremos para o tão famoso e badalado assunto de todos os lugares de academia até o metrô aonde eu me encontrava, o funk. E a morena fala: Eles só fazem músicas falando de ralar a perereca e a que tinha artrose: Eles criam toda hora uma música, que não dá nem para acompanhar.
Umas olhavam para mim e eu ficava lá, com minha cara séria, olhando e escutando na maior cara de pau. Tenho a ligeira impressão que quando sai o próximo assunto deveria ser o que a menina séria estaria pensando!

By: Laís Rezende

Anúncios

Um comentário sobre “No metrô…

  1. impressionante como o metrô você fica sabendo da vida de todo mundo não? chega a ser engraçado, eu fico observando e vejo cada coisa…

    vou seguir o seu blog, apesar cde não escrever sobre moda, e nem ter tanto $$$ para comprar as coisas que eu gosto, curto o assunto…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s