Cadê você?

Cadê você?

Quando acordei te vi ali do meu lado, virado de costas, nada muito difícil de imaginar. Mas como eu tinha parado ali? Que doideira foi aceitar estar ali. Fechei meus olhos novamente e achei melhor levantar. Ao entrar no banheiro, Fiquei alguns segundos olhando para o espelho, meus pensamentos já não estavam mais no mundo real. Peguei o pente e comecei a tentar conter os fios que ali não queriam mais ser lisos.
Voltei para cama. E você ainda continuava naquela mesma posição. Em um gesto sem pensar, cheguei mais perto e te abracei. Não foi por muito tempo, porque você poderia não gostar, mas no tempo que eu fiquei ali, me senti bem. Como se não quisesse que aquele momento acabasse. Achei melhor voltar, então virei de costas e longe como no começo. Você chegou mais perto e encostou-se a uma de minhas mãos, aquilo foi muito desnecessário concordo. E então, voltei a dormir.
O despertador tocou, fingi que não ouvi. Fingi também que não vi quando colocou para tocar de novo, meia hora depois. Acho que tenho esse dom bom, o dom de fingir. Mas os trinta minutos era como se tivesse passado três minutos. E o despertador volta a tocar. Você cogita em me acordar, mas ficou ali uns cinco minutos, pensando qual a melhor forma. E então depois de me acordar, quer dizer, de achar que estava me acordando, fala que vai se arrumar. Seu riso ao ter me acordado, e ver o rejeitando foi muito sexy. Antes de se levantar, se inclina e da um beijo em meus cabelos, e sai para tomar banho. Como queria que aquele beijo tivesse durado mais tempo.
Saiu do banheiro, pegou suas coisas e me deixou. Depois disso não soube o que aconteceu. Só sei que não foi a melhor noite de sono. Mas sei que foi o melhor dia do ano.

by Laís Rezende (@shineelfa)

Anúncios